Arquivo da tag: Venda de Emendas

Vocês Viram???

A cada dia eu me surpreendo com as notícias divulgadas na imprensa.

Quando eu acho que já vi de tudo, me aparece uma “VENDA DE EMENDAS NO ORÇAMENTO DO EXECUTIVO”.

“O Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, divulgou ontem à noite a lista das emendas dos deputados estaduais ao Orçamento do Executivo. A divulgação ocorre uma semana após o jornal O Estado de S. Paulter publicado denúncia do deputado Roque Barbiere (PTB) sobre a venda de emendas na Assembleia Legislativa de São Paulo.

A lista das liberações apresentada pelo governo é restrita. Se considerado o ano de 2010, o valor total deveria chegar a R$ 188 milhões caso o Executivo divulgasse todas as emendas. Porém, somadas todas as emendas de 2010 pagas em 2011, o valor total chega a R$ 26,1 milhões. Por ora, o governo não deve divulgar as emendas que foram pagas entre 2007 e 2010, justamente o período compreendido no questionamento feito à Casa Civil por Barbiere

Conforme o material que o Bandeirantes tornou disponível, o deputado estadual Rogério Nogueira (PDT) destinou R$ 850 mil em uma única emenda parlamentar à Prefeitura de Indaiatuba (SP), comandada por seu irmão, Reinaldo Nogueira (PMDB).

Dos deputados contemplados com os restos a pagar das emendas de 2010, Nogueira foi o décimo que mais recebeu verbas – a emenda é a maior dessa lista. Se incluídas na relação as de 2011, divulgadas ontem pelo governo, é a sexta mais alta.

O site da Secretaria de Estado da Fazenda informou que a verba de Indaiatuba foi destinada para a realização de “pavimentação asfáltica”. O valor corresponde a 42,5% dos R$ 2 milhões a que os deputados têm direito, e a 68% das verbas que o PDT recebeu dos restos a pagar de 2010.

O deputado afirmou não ver conflito ético no repasse de R$ 850 mil em emendas parlamentares de sua autoria para a prefeitura de Indaiatuba, administrada por seu irmão, Reinaldo Nogueira Lopes Cruz. Segundo ele, o valor é “até pouco”. “É assim mesmo: minhas maiores emendas vão para Indaiatuba e as menores vão para onde tenho pouco voto”, disse, argumentando que a cidade governada pelo irmão é seu principal reduto eleitoral. “Nas cidades em que tenho entre 700 e mil votos mando emenda de R$ 150 mil, R$ 300 mil. Nas cidades maiores, a emenda é maior”, disse o parlamentar.”

 

Fonte: Estado de Minas

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized